22/06/2020

Coronavírus: Como agir em caso de suspeita de contágio?

Coronavírus, como agir em caso de contágio

 

Nossa operadora de saúde orienta os beneficiários

 

Fiquem em casa, usem máscara e sigam as medidas de higiene necessárias ao

controle do coronavírus! Somente o distanciamento social, rígidas medidas de higiene e a utilização de máscaras, poderão garantir a redução da transmissibilidade e o controle da epidemia”. A afirmação é de um especialista que tem acompanhado dia a dia a evolução da doença: o Dr. Carlos Eduardo Soares Santos, médico sanitarista, gerente executivo de gestão em saúde na Funcesp, operadora que administra o plano de saúde da Sabesp desde agosto de 2019.

 

O médico lembra que a Fundação investe permanentemente em esclarecimentos importantes a todos os usuários dos planos, especialmente no atual cenário de pandemia do coronavírus, em seu site www.funcesp.com.br.

 

Mais: a Funcesp disponibiliza a todos seus beneficiários, independente do plano em que estão inscritos, atendimentos de urgência por telemedicina, em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein. Para isso, basta que o usuário acesse conecta.einstein.br. Nesse portal, uma equipe qualificada atende 24 horas por dia, 7 dias por semana.

 

O Dr. Carlos Eduardo atendeu a redação do Sabespapo para orientar nossos associados. Acompanhe a entrevista:

 

AAPS: Alguns pacientes temendo contágio do COVID-19 nos hospitais ou consultórios deixam de dar continuidade aos tratamentos. Qual a sua recomendação?

 

Dr. Carlos: Nenhum tratamento deve ser interrompido, pois isso poderá trazer algum prejuízo a qualquer tempo. Nossa recomendação é que o paciente busque meios alternativos para manter suas consultas, usando de tecnologia para isso, como a telemedicina. Vários médicos já têm realizado este tipo de atendimento e a Funcesp também deve liberar plataforma de especialistas para isso.

 

Dr. Luis Carlos

AAPS: A Funcesp disponibiliza o programa Telemedicina. Ele se estende a todos os beneficiários, inclusive os da Sabesp e de que forma o usuário pode participar?

 

Dr. Carlos: Já disponibilizamos atendimentos de urgência por telemedicina, em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein, e atendimentos em saúde mental, com o apoio da e-Care. Todos os beneficiários têm acesso a estes serviços, independentemente de seu plano. Vale lembrar que os atendimentos não se restringem a situações vinculadas a COVID, podendo ser utilizado para que se evite uma ida ao pronto-socorro ou para suporte às questões relacionadas a depressão ou ansiedade, dentre outras condições.

 

AAPS: Qual a orientação da operadora para o beneficiário que sentir os sintomas do Coronavírus, (como febre, falta de ar, cansaço acima do normal?

 

Dr. Carlos: Que entre em contato com a Telemedicina Einstein para uma primeira avaliação. Eles dispõem de protocolos de triagem e tratamento, encaminhando os

casos de maior gravidade para atendimento presencial, em consultas agendadas ou de urgência, na rede de prestadores que o paciente tenha direito, de acordo com seu plano. Para isso, o beneficiário deve acessar o portal conecta.einstein.br.

 

AAPS: Há uma preocupação em relação à rede de credenciados. Os hospitais que atendem os beneficiários do Plano Digna Sabesp (de 1 a 5) estão estruturados para receber doentes do COVID 19 ou a Funcesp, neste momento, está indicando hospitais prioritários?

 

Dr. Carlos: Todos os hospitais estão habilitados a prestar atendimentos quanto à Covid 19, tendo estruturado fluxos apartados para paciente com suspeita da doença e os demais. Dentre outros podemos indicar em São Paulo, como nossos parceiros, os Hospitais Beneficência Portuguesa e o Santa Paula. São instituições de qualidade e que atenderão nossos beneficiários com toda atenção e cuidados necessários”.

 

AAPS: Temos muitos beneficiários residentes em cidades do interior e litoral do estado. Em caso de necessidade qual a orientação? Procura a rede local ou se desloca para regiões com hospitais melhor equipados?

 

Dr.Carlos: A orientação é a mesma para os que vivem na Capital: entrar em contato com a Telemedicina Einstein num primeiro momento e, se for encaminhado para atendimento presencial em virtude da gravidade do quadro, procurar os hospitais credenciados em sua localidade – caso seja possível deslocar-se aos hospitais de referencia na região, nas maiores cidades, seria interessante, mas mesmo os pequenos hospitais tem procurado se preparar para este tipo de atendimento.

Lembro ainda que a Funcesp está à disposição através de sua Central de Atendimento para apoiar os nossos beneficiários na localização de um prestador de serviço adequado em sua região.

 

AAPS: A superlotação e a taxa de ocupação das UTI´s da rede pública constantemente divulgada pela imprensa tem sido preocupante. Com relação à nossa rede, como o sr. avalia essa condição?

 

Dr. Carlos: No momento, os hospitais privados ainda estão longe de apresentar uma superlotação. Todos nossos credenciados ainda dispõem de leitos para receber pacientes que necessitem ser internados, até mesmo em UTI. Caso as taxas de ocupação aumentem de maneira preocupante, a Funcesp estará disponível para buscar vagas e alocar o paciente em local adequado para seu tratamento e preferencialmente em sua região.

 

AAPS: Se o beneficiário tiver interesse em fazer a testagem, qual o procedimento recomendado pela Funcesp? Há cobertura do plano?

 

Dr. Carlos: O teste que dispõe de cobertura é o RT-PCR para Coronavirus. Ele é o exame padrão usado para o diagnóstico da COVID-19 e deve ser realizado em pessoas que passem a apresentar sintomas não habituais – os quadros parecidos com uma gripe ou dengue são os mais comuns, mas outros sintomas também podem se apresentar. Este exame tem cobertura pelo plano de saúde em situações específicas que podem ser verificadas pelo médico do paciente ou do serviço de saúde onde se encontre. Não recomendamos que seja realizada a testagem sem que exista uma suspeita firme de contaminação por coronavírus – por apresentar sintomas ou por contato com pessoas sabidamente doentes.